quinta-feira, 2 de outubro de 2008

Espaço de MENSAGENS

Que notícias pode partilhar connosco?

Deixamos aqui algumas mensagens publicadas no blog anterior (http://iuri-alex.blogs.sapo.pt/)




Mário Relvas disse sobre INTRODUÇÃO na Segunda-feira, 22 de Janeiro de 2007 às 11:06:
UTILIZANDO O COMPUTADOR COMO FERRAMENTA DE AUXILIO À INTERAÇÃO SOCIAL DO AUTISTA
Ponente : Priscilla Siomara Gonçalves. Analista e Consultora de Sistemas, autora das páginas autismo e hiperatividade, mãe de um menino autista hiperativo de sete anos. São Paulo - Brasil.
INTRODUCCIÓN
Quando pensamos em recursos a utilizar com nossos filhos para que contatem o mundo normal, algumas vezes podemos deixar de lado uma ferramenta poderosa que é o computador, por pensarmos erroneamente que, ao invés de trazê-los para esse mundo, estaremos implantando-os em um mundo virtual. Ledo engano. A grande maioria dos pais já descobriu que o computador atrai sobremaneira o autista, e sua integração é quase imediata com o mesmo. Então, utilizar tais recursos torna-se quase intuitivo.Mas, como usar, o que fazer, o que e´ correto ?
COMO UTILIZAR O COMPUTADOR COM MENINOS AUTISTAS
Bem, primeiramente, liberar de forma geral e irrestrita o acesso ao computador. Como sabemos, a grande maioria dos autistas tem problemas de coordenacao motora fina, o que dificulta a utilização do mouse, que é o grande instrumento da maioria dos programas educativos e infantis. Então, faz-se necessário um aprendizado primeiramente disso (com toda a frustração daí advinda sendo administrada pelos pais ou profissionais que lidem com o individuo autista).
O ligar corretamente, o DESLIGAR corretamente, o inserir o CD (ou disquete) no drive correto, visando dar autonomia ao indivíduo. Pode custar alguns mouses, CDs, disquetes, dores de cabeça, ANOS... quilos e quilos de paciência esse aprendizado... mas afirmo que é válido o investimento.Observei que meu filho interessou-se por computador aos 4 anos de idade, quando o comprei. Na busca de informações sobre autismo, deparei-me com a lista da espanha, e o domínio da lingua nao era (nem é) o meu forte. Então, comprei um CD da empresa Eurotalk, chamada Habla Español, para aprender ao menos o básico. E a minha surpresa foi enorme, quando, ao estar estudando o CD, meu filho estava sempre proximo, e começou a FALAR, repetindo as palavras em espanhol, e queria ficar sentado no meu colo para "brincar" com aquelas personas... Deixei, claro. Com um pouco de dor no coração dos murros que ele dava com o mouse na mesa, quando não conseguia o que queria.....mas o olhar brilhante e a tentativa de falar corretamente eram tão grandes, que eu não me importei em trocar o mouse ( e outro, e outro... até hoje foram oito mouses em tres anos).
Grande era a minha ansiedade para que ele falasse, que "ficasse normal"...eu não encontrava profissionais especializados em minha cidade para trabalhar com ele, nem fonoaudiologas, nem psicologas, nem neurologistas, nem professores que soubessem O QUE fazer com aquele menino hiperativo, que pouco falava, agitado, nervoso, mas que conseguia usar o computador. Como sou da área de informática, resolvi usar o que eu sei, e comecei a investir nisso : comprei CDs Educativos (tenho uma lista dos que comprei logo abaixo, em portugues, para quem quiser ver), nada de especial, apenas CDs para crianças normais.......e o resultado foi muito bom !
Eu utilizo alguns dos seguintes software educativos, disponíveis em portugues :
SOFTWARES EDUCATIVOSA
Festa do Ursinho de Pijama - GloboAlfabeto - Positivo InformáticaBoardmaker - Mayer-Johnson Co (importado por Click )
Brincando no Sótão da Vovó - Softkey
Casa de Matemática da Millie - Edmark
Cebolinha e Floquinho - JCS
Jardim da Infancia - ATR (cuentos en forma de poesía)
O Menino que aprendeu a ver - Mtec (Ruth Rocha e Walter Ono - libro multimedia)
O Pequeno Samurai (Série Contos Mágicos) - Brasoft - Davidson
EQUIPAMENTOS (HARDWARE) DE APOIO AO APRENDIZADO
Mesa Combo I - Positivo Informática
Mesa Combo II - Positivo Informática
Teclado Comfy - Positivo Informática (importador)
Comfy Interactive - Movies
Como a maior dificuldade do autista é a comunicação, acredito que o enfoque primário e primordial seja pela escolha de software que auxilie a superar essa dificuldade : não é preciso a procura por coisas difíceis...
*************************************************************************************
De Mário Relvas a 22 de Agosto de 2007 às 12:40


"FÉRIAS" DIFÍCEIS
José Lima, um paraplégico de Viana do Castelo, fez 800 quilómetros de cadeira de rodas adaptada, desde a sua cidade a Faro, pela divulgação da exclusão que, diz ser alvo.
Encontrou a simpatia por onde passou. Os portugueses solidarizaram-se com ele.
Um acto sério e heróico que pôs a diferença na boca dos portugueses.
Há outro tipo de deficiência que, não permite aos próprios, a chamada de atenção e o grito pelos seus direitos: a deficiência mental.
Quem lida com um autista, sabe o quão é difícil a estes, a interrupção dos seus rituais diários.Pois, desde Julho a Setembro, as instituições estão fechadas.
A tutela da segurança social ignora o fecho destas instituições, mas se não estou em erro, pagam-lhes doze meses...
Enquanto isto, nós pais, ficamos neste mês de Agosto , 24 horas, sempre atentos, em vigília, perante os nossos filhos.
A exigência, a hiperactividade e descontextualização das situações são extremamente cansativas.
Não temos tempo para nós e, garanto-vos, por vezes questionamos a nossa existência.
O governo deverá de uma vez por todas, ter em consideração esta situação, pois alguns casos são caóticos.
A doença mental, ou o autismo, não "gozam férias".
Os autistas devem conjugar as férias, entre os pais e o ambiente diário a que estão habituados. O período de férias seguido, com ausência do seu meio habitual, onde estão os seus colegas e monitores, não deverá ultrapassar os 15 dias, pois prejudica-os e arrasa os pais. As instituições terão que organizar as férias dos monitores/professores, por turnos, tal como a maioria das empresas, tal como muitos pais que, não podem tirar férias em Agosto.
Tentamos ser super pais, mas somos apenas humanos. Por vezes, já cansados, sem paciência, temos uma crise do filho, que amamos sobre todas as coisas e, ainda ficamos com "complexos" de culpa.
Numa ajuda aos deficientes e suas mães, segundo a Agência Eclésia, quarenta pessoas deram vida ao primeiro turno do Programa «Férias para Mães de Deficientes» promovido pelo Movimento da Mensagem de Fátima e pelas Irmãs Silenciosas Operárias da Cruz, em parceria com o Santuário de Fátima. O segundo turno decorre agora, desde o dia 19 a 25. Mais uma bela iniciativa da Igreja em Portugal. Porque as instituições onde andam os nossos jovens encerram no mês de Agosto? A igreja em Portugal presta um apoio relevante em todas as áreas sociais, apesar do que alguns fazem contra ela.
Cabe ao Estado a garantia dos direitos destes cidadãos portugueses, ignorados nas coisas mais simples.
Deus nos dê forças para aguentar, porque quando o não conseguirmos, que será feito dos nossos filhos queridos?
Quando nós pais envelhecermos, ou morrermos, o que acontecerá aos nossos filhos?
Em que depósito os meterão?
Isto é cruel e digno do Ruanda, sem ofensa àquele país...
Com um beijinho e solidariedade
*************************************************************************************

1 comentário:

  1. Na Apae de Teófilo Otoni-Brazil, estamos usando o programa Holos con as crianças autistas e estamos vendo muitos rostrinhos mais interessados.Continue com a sua missão você nos encoraja a seguir.

    ResponderEliminar

A sua participação é IMPORTANTE. Obrigada pelo seu comentário.